TOP TV WEB

PALESTRAS GRATUITAS SOBRE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO AUDIOVISUAL CHEGAM À SEGUNDA SEMANA

   PALESTRAS GRATUITAS SOBRE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO AUDIOVISUAL CHEGAM À SEGUNDA SEMANA

 

* ciclo integra a Oficina de Empreendedorismo e Gestão Audiovisual

 

* evento acontece de forma online e é aberto ao público

 

* atividade é organizada pelas Oficinas Kinoforum de Realização Audiovisual e conta com patrocínio da Spcine

 

(Divulgação)


A partir de 2/02, terça-feira, acontece a segunda semana do ciclo de palestras promovido pela Oficina de Empreendedorismo e Gestão Audiovisual. Os encontros são gratuitos, abertos ao público e acontecem de forma online, podendo ser acessados pelo

endereço www.facebook.com/oficinaskinoforum.

 

Com início sempre às 19h00, as palestras são as seguintes:

 

2/02 - "Empreededorismo e gestão de negócios na área audiovisual"

 

3/02 - "Captação de recursos para projetos culturais"

 

4/02 - "Acessibilidade nos projetos audiovisuais: Diálogos Acessíveis"

 

5/02 - "Redes sociais e assessoria de imprensa: a comunicação de projetos audiovisuaIs".

 

Entre os profissionais palestrantes estão Cadu Ruocco (Festival Caosarte), Cintia Alves (Coletivo Grão - Arte e Cidadania), Daniele Torres (Cultura e Mercado, Companhia da Cultura), Edgar Jacques (Coletivo Grão de Arte e Cidadania), Erick Krulikowski (consultor e professor da Fundação Dom Cabral), Francisco Cesar Filho (cineasta, curador e coordenador de comunicação), Jacson Dias (produtor, curador e programador audiovisual), Larissa Biasoli (gestora cultural e captadora de recursos ), Leandro Pardí (coletivo Pardieiro Cultural), Marita Oliveira (professora de  Língua Brasileira de Sinais - Libras) e Valéria Blanco (ATTi Comunicação).

 

A Oficina de Empreendedorismo e Gestão Audiovisual é organizada pelas Oficinas Kinoforum de Realização Audiovisual, com patrocínio da Spcine, empresa de cinema e audiovisual de São Paulo. A coordenação é de Zita Carvalhosa e a coordenação geral de Christian Saghaard.

 

Foram selecionados para participar da oficina um total de 13 coletivos atuantes em diferentes bairros da cidade de São Paulo:

* Cabaça Produções (Bom Retiro)

* Choque Filmes (Bom Retiro)

* Cinefrequência (Butantã)

* Cine Social Club (CT Cohab Juscelino Kubitscheck de Oliveira)

* Fímbria (Parque Cisper)

* Fuê Filmes (Butantã)

* HONEY (Guaianazes)

* Lentes Perifericas (Jardim Brasil)

* Lentes Sob Barreiras (Santo Amaro)

* minasproduções (Vila Guacuri)

* Mosca Frita (Grajaú)

* O Tripé Audiovisual (Jaraguá)

* Perifacon (Vila Granada).


finalidade da oficina é desenvolver aprendizados sobre empreendedorismo a partir da elaboração de projetos coletivos, contribuindo assim com o aperfeiçoamento dos participantes nas mais diversas atividades da área audiovisual e para o desenvolvimento de coletivos, grupos, produtoras, distribuidoras e outras formas de organização social voltadas a esse segmento. Nela, é trabalhado o conceito de plano de negócio para a disseminação de conteúdos audiovisuais em plataformas de mídias digitais e atuação no mercado de trabalho. A meta é possibilitar que os participantes se estabeleçam no mercado, capacitando-os para a gestão de empreendimentos audiovisuais.

 

 

Sobre os palestrantes

 

Cadu Ruocco é um dos criadores do Festival Caosarte e idealizador das Oficinas Livres “Como Fazer um Festival”, que resultou no Pericentro. É produtor executivo da Festa Literária Internacional de Paraty e presta serviço para o mercado audiovisual.  

 

Cintia Alves é pesquisadora de acessibilidade estética, diretora do Coletivo Grão - Arte e Cidadania e diretora artística do projeto Home-Art, parceria com Sesc São Paulo / Modos de Acessar, que apresenta de vídeos expondo o trabalho de artistas com deficiência. É fundadora do Museu Vozes Diversas, voltado ao diálogo com artistas de diferentes identidades sensoriais e sociais. É diretora e dramaturga, premiada com o Troféu Mambembe e dos prêmios Coca-Cola, APCA, Cultura Inglesa e São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem.

 

Daniele Torres é especialista em leis de incentivo e captação de recursos. É sócia do site e escola livre Cultura e Mercado. Foi gestora de patrocínios de grandes corporações (como a Vale) e atuou também no terceiro setor em institutos empresariais (como a Fundação CSN) e em ONGs diversas das áreas cultural, social e ambiental. Foi diretora do Instituto AES. Atualmente é conselheira consultiva da Comissão de Direito das Artes da OAB-SP, membro do Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais e da ABCR - Associação Brasileira de Captadores de Recursos. 

 

Edgar Jacques é ator e escreveu o monólogo "Colibri", vencedor de prêmio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, por sua relevância social. A peça "Um Homem Comum", que trata da sexualidade e da construção da autoimagem de um rapaz cego, transformou-se em livro em 2019 pela Editora Telucazu. Como ator, participou dos espetáculos produzidos dentro do projeto Teatro Cego, além de integrar o elenco de "O Rouxinol e a Rosa" e da peça virtual "De Que Cor é a Chuva", as duas últimas produzidas pelo Coletivo Grão de Arte e Cidadania. 

 

Erick Krulikowski é assessor para planejamento estratégico e acesso a mercado do Polo Audiovisual da Zona da Mata (MG), coordenador pedagógico do Objetiva – Projeto de Capacitação de Empresários do Setor Audiovisual e sócio diretor da iSetor, empresa especializada em gestão financeira de pequenas e médias empresas. Tem 20 anos de experiência em gestão executiva de projetos e negócios, com ênfase em finanças, planejamento estratégico, plano de negócios e desenvolvimento institucional para empresa  e organizações não-governamentais, tais como o Neojiba, Unibes e Fundação Telefônica. Atuou como pesquisador no mapeamento de impacto econômico do setor audiovisual no Brasil e foi coordenador editorial do Guia Audiovisual do projeto Objetiva, um conjunto de nove livros lançado pela Apro / Sebrae.


Francisco Cesar Filho
 coordenou a comunicação de lançamento de longas-metragens de cineastas como Tata Amaral, Cláudio Assis, Kiko Goifman e Paulo Sacramento, entre outros. Comandou equipes de divulgação da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Festival Videobrasil, Festival do Minuto e É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, entre outros eventos. Assina a coordenação de comunicação (coordenando as áreas de assessoria de imprensa e de redes sociais) de longas-metragens (como “Meu Nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza) e de eventos, como o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo – Curta Kinoforum, Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo e dh fest – Festival de Cultura em Direitos Humanos.

 

Jacson Dias é sócio-fundador da Ponta de Anzol Filmes e produtor dos curta-metragens "Ingrid" e "Looping", exibidos em mais de 70 festivais no Brasil e no exterior. "Tempestade Ninja", seu primeiro longa-metragem como produtor (em fase de desenvolvimento de roteiro) conquistou o prêmio de melhor pitching no Kinoforum Labs – Do Curta ao Longa. Recebeu dois prêmios durante o 10th Brasil CineMundi - International Coproduction Meeting, entre eles a Incubadora Paradiso. Já o projeto de longa-metragem "Perto da Meia-Noite" foi vencedor de três prêmios no laboratório BrLab. É associado da APAN e Diretor de Inclusão e Igualdade do Sindav-MG. Atualmente é um dos curadores da plataforma de streaming Cardume.

 

Larissa Biasoli atua na elaboração de projetos e captação de recursos para leis de incentivo fiscais estaduais, federais e municipais, com projetos nas áreas de teatro, música, dança, artes plásticas, literatura e audiovisual. É captadora de recursos para o Centro Cultural Aliança Francesa de São Paulo e presta consultoria na área de elaboração de projetos e captação de recursos para artistas e instituições. É sócia diretora da Sorella Produções Artísticas, destacando-se a coordenação de produção da etapa São Paulo do Festival do Teatro Brasileiro - Cena Paranaense e Cena Baiana. Coordenou a produção e circulação do Grupo Barracão Teatro de Campinas por 40 cidades brasileiras pelo Programa Palco Giratório do Sesc. Realizou e coordenou a produção do Fórum Internacional sobre novas mídias e tecnologia Mediamorfosis na cidade de São Paulo.

 

Leandro Pardí é comunicador pós-graduando em gestão com ênfase em marketing e mídias digitais (FGV-SP). Foi curador da Cinemateca Brasileira e dirige o coletivo Pardieiro Cultural, que realiza programações musicais e projetos culturais. Foi responsável pela criação e estratégias iniciais das redes sociais da Cinemateca Brasileira. Organizou as redes sociais de importantes festivais audiovisuais, como o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, Festival de Direitos Humanos e In-Edit Brasil - Festival Internacional do Documentário Musical, além de mídias para galerias de arte e peças de teatro. Foi consultor para novas estratégias digitais no Memorial da América Latina e trabalhou no lançamento de diversos filmes independentes, como ‘’ De Menor’’ (de Caru Alves de Souza) e ‘’Olhe Para Mim de Novo’’ (de Kiko Goifman e Claudia Priscilla). 

 

Marita Oliveira é atriz e guardiã da comunicação na Língua Brasileira de Sinais (Libras) no Coletivo Grão, além de atuar também nos coletivos Transcritivas e Recriarte - Escola de Teatro. Participou do Corposinalizante “Performance e Poesia de Libras”, no MAM-SP. Realizou mediação de Leitura em Libras - português junto com o grupo Collectivus de Leitura e atua como fotógrafa independente e em parceria com o LiteraSurda. Atualmente está na segunda graduação do curso Letras Libras pelo Uniasselvi. É professora de Libras no IST - Instituto Santa Teresinha, instrutora de Libras no Instituto Seli – Educação e Inclusão em Libras e na Faculdade Albert Einstein. É consultora de Libras nas empresas Iguale - Comunicação e Acessibilidade e na K&K Libras. É certificada instrutora de Libras pelo Prolibras.  

 

Valeria Blanco é assessora de imprensa e produtora cultural. Trabalhou nas equipes de divulgação do Museu da Imagem e do Som (SP), Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, É Tudo Verdade, Projeto Cinema 35mm (Sesc Ipiranga), no filme “Encarnação do Demônio” (José Mojica Marins), na produção do Carnaval de SP, entre outros eventos. Em 2007, criou a ATTi Comunicação, assessoria de imprensa e produtora focada em cultura. Desde então, trabalhou na divulgação de diversos filmes, como “Hoje”, “Vida Sobre Rodas”, “Soberano – Seis Vezes São Paulo”, “Fiel”, “De Menor”, ”Meu Nome é Bagdá”. Atuou ainda na assessoria de diversas mostras no CCBB-SP, da série “Mad Dogs”, do projeto É Nóis na Fita, da plataforma Supo Mungam Plus e dos eventos Jornada do Cinema Silencioso, In-Edit Brasil, Mix Brasil, Mostra Ecofalante de Cinema, Festival de Cinema Latino-Americano de São PauloCine Fantasy, Curta Kinoforum e Feed Dog. Produziu o Festival Internacional de Cinema Infantil em São Paulo, Festival Bacuri (Belém-PA, também curadoria), DVD Marcelo Camelo apresenta, BITS - Olhar Sonoro, Festival Varilux de Cinema Francês, Festival Ópera na Tela, BR Skate Film Festival etc. 

 

Sobre os coordenadores

 

Zita Carvalhosa é fundadora e diretora do Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo – Curta Kinoforum. Desde 2001, desenvolve o projeto das Oficinas Kinoforum de Realização Audiovisual. É produtora executiva e diretora do Festival de Vídeo Tela Digital nas suas duas temporadas exibidas pela TV Brasil (2009/2011). É sócia da Superfilmes, onde atua como produtora executiva desde 1983. Foi produtora executiva dos longas-metragens “Obra”, “Um Homem de Moral”, “No Rio das Amazonas”, “Fé”, “A Casa de Alice”, “Tônica Dominante”, “Anjos da Noite”, “Capitalismo Selvagem” e “O Cineasta da Selva”, entre outro. Entre as séries em que atuou como produtora executiva estão “O Povo Brasileiro” (laureada no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro) e “Interpretes do Brasil”. Produziu ainda os documentários “A Poética Política de Montoro”, “Carrego Comigo”, “Vale a Pena Sonhar”, “O Mundo Cabe Numa Cadeira de Barbeiro”, “Pontal do Paranapanema” e “Sentidos à Flor da Pele”. Também foi produtora executiva de mais de 20 curtas-metragens, premiados no Brasil e no exterior. Presidiu a Associação Cultural Kinoforum de 1995 a 2008 e hoje atua como coordenadora executiva dos projetos da entidade.

 

Christian Saghaard é cineasta, fotógrafo e coordenador de oficinas e mostras audiovisuais. Atua há mais de 20 anos como curador e programador em festivais e projetos de exibição. Dirigiu seis filmes de curta metragem, um telefilme para a TV Cultura e um longa-metragem. Desde 1997 integra o comitê de seleção do Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo- Curta Kinoforum. Também é curador da Mostra Infantojuvenil e idealizador, com Zita Carvalhosa, do projeto Oficinas Kinoforum de Realização Audiovisual, que produziu mais de 80 oficinas audiovisuais para jovens de várias regiões do estado de São Paulo. É educador audiovisual do projeto Pontos MIS-SP e do festival Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade.

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem