TOP TV WEB

Com poética direcionada sobre estudos em afetividade entre corpos racializados, Miguel Afa pinta mural na Vila Cruzeiro

   Com poética direcionada sobre estudos em afetividade entre corpos racializados, Miguel Afa pinta mural na Vila Cruzeiro

ME RETRATEM: Enquanto o distanciamento social é necessário, público poderá acompanhar o processo artístico pelas mídias sociais


(Photo Imagem:Marcus Vinicius de Souza)


Rio de Janeiro - Uma obra de arte desde os primórdios da história sempre apresentou uma conotação de privilégios, honra. E se passássemos a retratar indivíduos favelados, antes vistos sob uma situação imagética e de vulnerabilidade, agora como protagonistas? Esse é o trabalho de Miguel Afa, cria do Complexo do Alemão/RJ, um artista visual com mais de  20 anos de carreira que tem como assinatura de suas obras dar um outro sentido à imagem desses indivíduos.


Grande parte da sociedade ainda deslegitima a existência  favelada os associando , a criminalidade e a incapacidade intelectual, resumindo sua figura atrelada à marginalidade e violência.


Em seu mais novo trabalho, ME RETRATEM, com produção de Carolina Lyds e Luana Carvas,   não foi pensado em formato de exposição, e sim como um desdobramento da missão que vem desenvolvendo há duas décadas e que inspirou seus estudos sobre afetividade entre corpos negros e favelados. 


“Nesse mural específico, ainda fazendo um desdobramento sobre esse olhar nas relações afetivas farei uma homenagem póstuma ao José Carlos, também conhecido como Zeco, que foi meu aluno há pouco mais de 10 anos. E por complicações de saúde veio a falecer em 2019”, relata Afa.



A obra será pintada no muro de uma escola no Complexo do Alemão, sempre preferência de ambiente pelo artista. Por ser um local de compartilhamento de conhecimento, cotidiano para crianças e adolescentes. Um espaço ideal para intervir estética e artisticamente, provocando a desconstrução dos estigmas relacionados aos aspectos negativos da vivência na favela.


“Eu tento abordar as questões não objetivas, o contraponto da visão pré-estabelecida sobre nós, pretos e favelados. Abordo as relações afetivas, saberes locais e como intuitivamente cuidamos um do outro, seja no aspecto emocional ou físico”, resume Afa.


A agenda acontece de 12 de fevereiro a 31 de março e haverá cobertura completa nas mídias sociais, pelo Instagram  @meretratem, além de um filme que integra a obra. Esta programação está sendo realizada com recursos da Lei Aldir Blanc do Estado do Rio de Janeiro (@cultura_rio).


Serviço

ME RETRATEM

De 12 de fevereiro a 31 de março de 2021

Online e gratuito

Instagram: @meretratem

YouTube: @meretratem


FICHA TÉCNICA


Criação

Miguel Afa


Produção

Luana Carvas

Carolina Lyds


Roteiro e edição

Natã Dias


Trilha sonora

Natã Dias


Co Produção

Life Mídia


Artistas Assistentes

Jeff Seon, Mc JK  do Complexo, Onni, Pelecobre, Yuri Brito


Acessibilidade 

Rangel Produções


Fotos

Marcos Vinicius de Souza


Assessoria de Imprensa e Redes Sociais

Gamarc Comunicação


Identidade Visual

Tiago Taurian


Realização


Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (@sececr), através do  Prêmio Retomada Cultural RJ,  com recursos da Lei Aldir Blanc do Estado do Rio de Janeiro (@cultura_rio)


Agradecimentos


CIEP Deputado José Carlos Brandão Monteiro, Laís Rufino, Tia Selma, 


Créditos foto: Marcos Vinicius de Souza Miguel Afa, o artista

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem