TOP TV WEB

Documentário Brasileiro Death Protocol (Protocolo Da Morte) Está Na Pré-Lista Do Oscar 2021

   Documentário Brasileiro Death Protocol (Protocolo Da Morte) Está Na Pré-Lista Do Oscar 2021

 O filme de longa-metragem está concorrendo nas categorias Melhor Documentário, Melhor Música Original e Melhor Trilha Original


(Divulgação)

Abordando um tema tão delicado e atual, a "intubação orotraqueal precoce" em pacientes de COVID-19, o documentário de longa-metragem brasileiro Death Protocol (Protocolo da Morte), dirigido pelo cineasta André Di Mauro está entre os seis filmes brasileiros qualificados pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood para disputar uma vaga no prêmio mais importante do cinema mundial, o Oscar 2021, na categoria Melhor Documentário.

“Foi uma surpresa maravilhosa e emocionante saber que todo o nosso esforço foi reconhecido, e uma honra poder concorrer com outros brasileiros que admiro e respeito”, diz André.

O filme também concorre em outras duas categorias e o único brasileiro pré-selecionado em Melhor Trilha Sonora (Original Score) e Melhor Música Original (Original Song) com a música Protocol, composição de André Di Mauro, Daniel Figueiredo, músico e um dos maiores produtores musicais brasileiro e a cantora americana Savannah Moon, que também interpreta a canção. 

“É sempre um grande prazer e honra fazer algo com o André Di Mauro, grande talento e amigo de longa data e a Savannah ter aceitado o convite de última hora para colaborar nesse projeto também foi outro grande presente. Apesar do pouco tempo que tivemos, fiquei muito feliz com o resultado. A trilha original, criada pela minha empresa MusicSolution, com meus sócios: Luiz Helenio e Julio Cesar, foi “amplificada” pela sensibilidade do André Di Mauro na seleção e adequação com as imagens”, comenta Daniel Figueiredo.

Apesar de tratar um tema científico/médico, a linguagem cinematográfica escolhida pelo diretor é imagética e metafórica, fugindo dos padrões dos filmes documentários tradicionais. André apresenta uma narrativa sensorial onde as imagens e as músicas dialogam com o conteúdo científico apresentado pelos médicos e especialistas de uma forma subjetiva. É o contraste entre a morte na pandemia e a natureza pulsando e transbordando vida.

Protocolo da Morte foi produzido durante o período da pandemia do Coronavírus e traz uma realidade sobre a intubação orotraqueal precoce. O longa conta com depoimentos importantes e a experiência de médicos especialistas que atuaram na linha de frente do combate ao Covid19.  

Dr. David A. Farcy (Diretor do Mount Sinai Medical Center em Miami e ex-presidente da Academia Americana de Medicina de Emergência), Dr. Cameron Kyle-Sidell (Médico intensivista de Nova York), Dra. Margareth Dalcolmo (Médica pneumologista e pesquisadora da Fundação Osvaldo Cruz / Fiocruz), Dr. Daniel Fonseca (Diretor Clínico do Hospital Samel), Dr. Manuel Amorim (Coordenador de Fisioterapia do Hospital Samel) e o Dr. Luis Alberto Nicolau (CEO da Samel Health Care), dão testemunhos relevantes e emocionantes sobre pacientes que atenderam e falam sobre um passado tão próximo, onde foi adotado um protocolo às pressas com a intenção de salvar vidas, mas que hoje em dia devem ser revistos.

“O filme é um grito de alerta, um painel dinâmico e humano sobre este triste capítulo da história da humanidade, que tem como missão não somente documentar os fatos, mas chamar a atenção para a necessária mudança de protocolo, substituindo este que foi considerado por muitos como o ‘protocolo da morte’ pelo ‘protocolo da vida’”, finaliza André. 

O documentário está disponível de forma gratuita através da plataforma Sala de Cinema.

Assista aqui: http://saladecinema.com/protocolo-da-morte 

Senha: vida

Sinopse 

O documentário foi produzido durante a pandemia do Covid-19 e trata do “protocolo de intubação precoce”, indicado no início da pandemia pela OMS e seguido por médicos em todo o mundo como procedimento para o tratamento dos pacientes com problemas respiratórios.

O protocolo foi criado a partir da experiência dos chineses que apresentaram pesquisas indicando que as terapias com ventilação não invasiva, normalmente usadas em pacientes com doenças respiratórias agudas graves, estaria contaminando os profissionais de saúde por causa dos aerossóis liberados durante os procedimentos, e por isso indicado a intubação orotraqueal de forma precoce. 

No filme, médicos e especialistas contam suas experiências e aprendizado em relação ao tema e apresentam opções como a "Cápsula Vanessa” criada pelos profissionais do Hospital Samel e Instituto Transine que permitem o tratamento dos pacientes com ventilação não invasiva e, ao mesmo tempo, garantindo a segurança dos profissionais de saúde. 

Após meses, muitos médicos perceberam que a intubação e a ventilação mecânica poderiam estar causando mais mal que cura para os pacientes e começaram a questionar este protocolo. Em alguns casos a intubação é necessária, mas somente como último recurso. 

Pesquisas apontaram que o índice de mortalidade da intubação em pacientes com Covid-19 é próximo de 80% e no caso dos idosos o índice de mortalidade é 97%, além de todas as sequelas que ficam naqueles que conseguem sobreviver à intubação. Apesar de todas as evidências que mostram os perigos do uso da ventilação mecânica e da intubação, mesmo com todas as pesquisas, com todos os equipamentos criados para ventilação não invasiva, infelizmente, até hoje muitos médicos, hospitais e fisioterapeutas respiratórios ainda seguem o ultrapassado protocolo de intubação orotraqueal precoce, levando muitas pessoas à morte. 

Autoridades internacionais como o Dr. David Farcy, ex-presidente da American Academy of Emergency Medicine propõe um novo protocolo baseado em pesquisas e experiências com ventilação não invasiva de alto fluxo. 

Ficha Técnica 

Direção, roteiro e montagem: André DI Mauro

Trilha sonora original: Music Solution - Daniel Figueiredo, Luiz Helenio e Júlio César 

Música tema "Protocol":  André Di Mauro, Daniel Figueiredo e Savannah Moon

Melodia e arranjos: Daniel Figueiredo

Produção: DiMauro Filmes 

Sobre André Di Mauro

André Di Mauro é diretor, roteirista, ator e produtor, tem um currículo multidisciplinar com mais de 40 anos de experiência no cinema, no teatro e na TV. Participou de mais de 50 obras audiovisuais, entre filmes, novelas e séries. Fundador do primeiro curso superior de cinema da cidade do Rio de Janeiro na UNESA onde trabalhou como Diretor Acadêmico e Professor de Realização Cinematográfica. 

Escritor e dramaturgo premiado, é o autor do livro Humberto Mauro, O Pai do Cinema Brasileiro, que serviu de base para o documentário Humberto Mauro – Cinema é Cachoeira, escrito e dirigido por ele. O filme estreou no 75º Festival Internacional de Cinema de Veneza, e participou dos principais festivais nacionais e internacionais como Festival de Gramado (indicado melhor documentário brasileiro), Festival do Rio, Festival de Brasília, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e representou o Brasil no Festival Internacional de Cinema de Rotterdam, Festival de Cinema de Havana, Play-Doc Film Festival – Espanha onde ganhou o Prêmio de Melhor Filme entre dezenas de outros importantes festivais e o filme Humberto Mauro – Cinema e Cachoeira foi inserido na seleta lista da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas como um dos concorrentes ao Oscar 2020 de Melhor Documentário. 

Em 2021, pelo segundo ano consecutivo, André Di Mauro desponta com um filme realizado por ele, Death Protocol (Protocolo da Morte) entre os documentários qualificados pela Academia de Hollywood para concorrer ao Oscar 2021 de Melhor Documentário e ainda nas categorias Original Score e Original Song com a música tema Protocol.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem