TOP TV WEB

É possível viajar para o exterior em segurança durante a pandemia de Covid-19?

   É possível viajar para o exterior em segurança durante a pandemia de Covid-19?

Agda Bariani – Consultora Imigratória

(Divulgação)

Com a pandemia de Covid-19 começando a dar sinais de que estão desacelerando no Brasil, muitas pessoas que mantiveram o isolamento social  e está há mais de sete meses de quarentena não veem a hora de arrumar as malas e viajar a turismo, estudos ou até mesmo imigrar para outros países. Mas será que é possível viajar com segurança sem se contaminar com o “corona vírus”? A resposta para esta pergunta é muito mais complexa do que um simples sim ou não.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), que divulgou uma série de recomendações sobre o tema, o ideal é que você evite viagens internacionais, a não ser que elas sejam extremamente necessárias, como; ações humanitárias, viagens profissionais essenciais e repatriamento.

Como a OMS não trata do tema em relação a viagens domésticas, é necessário avaliar uma série de riscos que essa decisão acarreta, ainda mais se você mora no Brasil. Afinal, o país ainda ocupa um dos primeiros cinco países em números de mortes provocadas pela doença desde o começo da pandemia.

Separamos algumas perguntas para que vocês possam entender melhor este tema de tanta relevância que estamos vivendo e que você possa sanar todas

1- Como fica o sonho de turistas, estudantes e de brasileiros que tinham a intenção de imigrar para fora do país a partir desse ano? Mudou algo com a saída  do Trump e a entrada de Biden na presidência?

A entrada de brasileiros nos EUA ainda não está liberada, mas existem algumas possibilidades, caso você queira assumir todos os riscos de fazer uma viagem internacional agora. De qualquer forma, o visto B2, concedido para turistas, não faz parte das exceções de entrada dos EUA atualmente.  Brasileiros  que estão em processo de imigração para os Estados Unidos devem aguardar a abertura na NVC (National Visa Center) no Rio de Janeiro para as entrevistas. 

Com a saída de Trump e a entrada de Joe Biden na Casa Branca,  as relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos não devem se alterar. Mas a vitória do democrata ou do republicano terá implicações sobre o aprofundamento das relações comerciais bilaterais entre os países, sobre a política externa brasileira e o posicionamento político ideológico de Jair Bolsonaro no âmbito internacional.

2- A pandemia dificultou muito a entrada de brasileiros para turismo e estudantes que já tinham vistos. O que eles podem fazer para viajar aos Estados Unidos ou demais países?

Sim. Os vistos que fiz ou meus clientes já possuíam como turista e estudante, quando perguntado na imigração após quarentena o motivo de sua viagem, era obrigatório mostrar o exame de PCR (exame que identifica o vírus e confirma a covid-19) bem como todas as provas do porque é urgente voltar aos Estados Unidos. Atualmente, um viajante do Brasil que queira entrar nos Estados Unidos, precisa passar pelo menos 14 dias em um país que não tenha restrições vigentes, como o México ou a Turquia, por exemplo. No entanto, nada garante que entre a compra da passagem e a viagem alguma nova regra seja imposta pelo governo norte-americano, aumentando o risco e o custo de qualquer viagem.

3- E para quem precisa de vistos e não tem,  como o consulado está reagindo à abertura durante a pandemia?

As representações diplomáticas dos Estados Unidos no Brasil informaram que não têm previsão de retomada dos atendimentos de rotina, mas disseram que, em casos excepcionais, é possível solicitar atendimento de emergência. O Consulado de São Paulo não comentou as críticas sobre a adaptação do espaço.

4- Quais são hoje os países mais procurados por brasileiros para turismo que apresentando o exame de Covid (PCR), eles possam ir e quais cuidados esses países estão tomando para receber esse público

Vale ressaltar que mudanças podem acontecer de um dia para o outro em relação às exigências de cada país. 

Vale lembrar que na Zona Schengen, formada por 22 dos 27 países membros da União Europeia, além da Islândia, Noruega, Suíça e Lichtenstein, as fronteiras estão fechadas para quem voa direto do Brasil. É o caso de Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Itália, Portugal, Suécia, Suíça, entre outros.

No momento, temos 11 países abertos para brasileiros com restrições leves. Há ainda 107 países com restrições moderadas, com algumas exigências, como quarentena e teste para Covid-19, e 107 países com restrições fortes, praticamente fechados, especialmente para turismo.

5- Em sua opinião e experiência que está tendo com seus clientes Agda,o que você sugere caso os brasileiros queiram   viajar para o exterior a turismo ou estudo?O momento agora é a espera ativa. Desde o dia 11 de março, com o anúncio da Organização Mundial da Saúde da pandemia do novo  coronavírus, até ⅓ da população mundial já chegou a se resguardar dentro de casa a fim de achatar a curva de contágio da doença.  É muito difícil passar por uma crise sanitária dessa magnitude sem qualquer tipo de mudança de rotina, mesmo após o controle da doença. Quando ela estiver parcialmente combatida — a própria OMS indica que ela se tornará endêmica, ou seja, não irá desaparecer por completo —, as relações trabalhistas serão outras, assim como hábitos de higiene e comportamentos em espaços públicos que possam levar a aglomerações. Então antes de pensar em viajar para qualquer que seja o intuito, é importante que você se planeje e agora com a vacina do Brasil, esteja vacinado para que o novo normal chegue e possamos usufruir realmente dos nossos sonhos que tantos planejamos em 2020.


Para saber mais acesse:


https://www.youtube.com/channel/UC1W-PJvvSqIVnjtx1KVRZ8Q

Instagram - @bariani.agda

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem