TOP TV WEB

Café Santa Monica aumenta produção, cresce 50% e consolida pioneirismo no mercado gourmet

 Café Santa Monica aumenta produção, cresce 50% e consolida pioneirismo no mercado gourmet

Marca lança Café Premium, segundo microlote de 86 Pontos, triplicou produção e cresce 200% no e-commerce em 2020

(Divulgação)

14 de abril é o Dia Mundial do Café, segunda bebida mais consumida no mundo, ficando apenas atrás da água. Pioneiro na produção de café gourmet no Brasil o Café Santa Monica comemora a data com crescimento de 50% desde o início da Pandemia, registrando aumento de 200% nas vendas em seu e-commerce e em marketplaces.

Impulsionada pelo avanço de 7% ao ano do mercado de cafés especiais, em 2020, a marca lançou seu segundo microlote, o Santa Monica 86 Pontos, e o Santa Monica Premium, começou a produzir marca própria para redes de varejo e aumentou suas exportações levando seu café torrado para diversos países.

Há mais de três décadas que a empresa se destaca por seu pioneirismo e qualidade de seus produtos, sendo uma das primeiras marcas a produzir café gourmet no país. Durante esses anos, consolidou sua expansão atuando no food service e varejo e atravessou fronteiras chegando ao mercado internacional com a exportação do seu café verde. Também ampliou sua linha de produtos com os lançamentos do café em cápsula e do Drip Coffe, inaugurando o conceito de café de bolso no Brasil em 2016, e investiu na ampliação de seu mix com os lançamentos dos cafés Orgânico e Intenso e na abertura de seu e-commerce para atender diretamente o consumidor.

Além da Fazenda Santa Monica localizada em Machado, no Sul de Minas, considerada uma das melhores regiões para cultivo de café gourmet no mundo, a empresa também tem sua própria torrefadora instalada em São Paulo, o que permite o controle de todo processo, da produção do grão à xícara.

FAZENDA MODELO

Para iniciar a produção de café gourmet no país em 1985, a empresa investiu na seleção de mudas, instalou um sistema israelense de fertirrigação por gotejamento em sua Fazenda e apostou nos avanços da biotecnologia para ter 60% da sua produção de grãos gourmet, um percentual superior ao de outras propriedades da região que colhem, em média, de 10% e 20% desse tipo de café. Esse resultado transformou a Fazenda Santa Monica em um modelo no segmento cafeicultor que vem sendo seguido por diversos produtores.

Na propriedade não se usa defensivos químicos e são aproveitados os recursos fornecidos pela própria natureza. Na Fazenda são utilizados produtos biológicos e processos naturais, apostando na inovação como a melhor arma para combater as pragas e aumentar a produção.

Outros diferenciais que também garantem maior produtividade na Fazenda 100% sustentável são sistema Safra Zero, o uso de uma máquina à laser para selecionar os grãos por cor e tamanho e a utilização de um secador estático que reduz o tempo de secagem do café de 19 para 6 dias, preservando a qualidade do café.

Com certificações da Ascafea, UTZ, Emater, Brazil Speciality Coffee Association e da Certifica Minas Café, a marca produz cafés das espécies Novo Mundo e Catuaí que são utilizados tanto na produção de sua linha gourmet, quanto comercializados no mercado interno e exportados para diversos países.

DADOS DO MERCADO

Por ano são consumidas cerca de 400 bilhões de xícaras de café em todo o planeta, onde uma a cada 3 xícaras tem grãos produzidos no Brasil. A safra mundial é de 170 milhões de sacas por ano, sendo 60% arábica e 40% robusta.

Há 150 anos o Brasil detém os títulos de maior produtor e exportador de café, vendendo atualmente o produto para mais de 140 países. Em 2020, o país fechou o ano com market share de 39% do mercado global de café, produzido em 2,2 milhões de hectares ocupados por pés da fruta. Do café produzido por aqui, 40% são destinados ao consumo interno e 60% para exportação.

O mercado de café vem crescendo a cada ano, estimulado pela modernização das formas de consumo da bebida. Apreciado por diferentes faixas etárias, o café vem ganhando cada vez mais espaço por aqui com o crescimento do número de cafeterias que apostam na variedade das bebidas feitas com o grão.

Hoje, mais de 300 mil produtores cultivam o café no Brasil e centenas de municípios tem o café como principal fonte de receita. Minas Gerais concentra 75% da produção nacional de espécie arábica, café mais doce e valorizado. Já, o Espírito Santo é líder na produção de café conilon que vale menos no mercado. Os próximos estados do ranking, São Paulo, Bahia e Paraná priorizam o cultivo da espécie arábica.

Nossos principais compradores de café verde são Alemanha, Estados Unidos e Itália, e de torrado Estados Unidos, Argentina e Japão. Somos o maior exportador mundial de café de qualidade e o segundo maior consumidor da bebida, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Consumimos cerca de 73 bilhões de xícaras de café por ano dentro de um mercado interno que vem crescendo, impulsionado pela onda de cafés especiais que teve início há 15 anos. Enquanto o mercado de café tradicional cresce 2% ao ano o de cafés especiais avança 7%, oferecendo produtos de alta qualidade com pontuações acima de 90 pontos pela SCA.

 

www.cafegourmetsantamonica.com.br

Instagram: cafesantamonica

Facebook: cafegourmetsantamonica

Fone: (11) 3855-8855

sac@cafesantamonica.com.br

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem