TOP TV WEB

Clube Latinas, um clube de leitura focado em escritoras latino-americanas e caribenhas

   Clube Latinas, um clube de leitura focado em escritoras latino-americanas e caribenhas

Clube de Leitura lançado, pelas historiadoras Thaís Carneiro e Ana Beatriz Mauá, levanta a necessidade de lermos escritoras latino-americanas e caribenhas

(Divulgação)

Existe uma escrita característica comum nas obras produzidas por escritoras mulheres? Se sim, quais seriam elas? Nesse clube de leitura, queremos partir de obras produzidas por escritoras latino-americanas e caribenhas para pensar questões mais amplas do contexto social e cultural do continente. E, principalmente, das condições em que foram escritas, das temáticas por elas abordadas e como tais questões ajudam a refletir sobre o momento histórico em que vivemos, sobre as relações com feminismo e questões étnico raciais. 

O Clube de Leitura Latinas, mediado pelas historiadoras Thaís Carneiro e Ana Beatriz Mauá, acontece mensalmente, às terças-feiras à noite e a participação é livre. Todo mês, será escolhido um livro de autoria latino-americana e caribenha. As leituras são decididas conjuntamente com os/as/es participantes! 

Ah, é importante dizer que NÃO é necessário estudar e/ou pesquisar o tema. Apenas ter interesse pela temática e, principalmente, gostar de ler! 

Leitura de Maio

“Eu, Tituba - Bruxa Negra de Salém”, obra da escritora caribenha Maryse Condé, será nossa primeira leitura. O livro é um prato cheio para quem, assim como eu, é apaixonade por literatura e sua relação com a História. 

Marysé Condé nos convida a conhecer a história de Tituba, uma mulher negra da Ilha de Barbados que é levada para a Nova Inglaterra. A obra conjuga o esforço de reivindicar a existência e a subjetividade de mulheres que foram excluídas e apagadas pela História. Nesse caso, a literatura é espaço de reivindicação da palavra por Tituba e de sua resistência enquanto mulher negra, condenada ao trabalho na condição de escravizada. 

Ao conhecer os percursos de Tituba, nós, enquanto leitores, refletimos sobre a violência que permeia as sociedades escravistas: seja a relação entre senhores e trabalhadores escravizados; seja nas práticas de perseguição contra mulheres - e, particularmente, as mulheres negras -, falsamente acusadas de bruxaria pelo tribunal de Salém, em 1692. 

Serviço
Data: 04/05, terça-feira à noite
Horário: 19h às 20h30
Valor: R$ 21,90 ( a assinatura pode ser cancelada a qualquer momento, sem multa)

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem