TOP TV WEB

Peça teatral reflete com humor sobre os dilemas despertados pela idealização do amor romântico

   Peça teatral reflete com humor sobre os dilemas despertados pela idealização do amor romântico 

 

(Divulgação)

“Rosário de Desamores”, espetáculo solo da atriz, diretora e dramaturga Melina Marchetti, reflete de forma divertida sobre a idealização do amor romântico e o quanto ainda lutamos para nos desvencilharmos da ideia de que a felicidade plena só é possível se estivermos acompanhados. 

 

Últimas apresentações da temporada de “Rosário de Desamores” acontecem pela Plataforma Zoom

 

Até o dia 28 de abril de 2021, acontecem as últimas apresentações da temporada de estreia da primeira versão de “Rosário de Desamores ou Há Coisas Piores para sentir do que não sentir nada?”, espetáculo solo de Melina Marchetti. A temporada virtual será transmitida pela Plataforma Zoom e os ingressos serão distribuídos gratuitamente através da plataforma Sympla.

 

Após as apresentações serão realizadas rodas de conversa online com o público, abordando temas sobre o espetáculo, o processo de criação e as referências utilizadas. 

 

Em razão da pandemia da COVID-19, o projeto foi adaptado para o formato virtual e teve sua pré-estreia realizada no dia 28 de março, em uma sessão especial para estudantes de núcleos de pesquisa teatral e profissionais da área. 

 

Refletindo de forma bem humorada sobre a construção social do amor romântico e dos papéis impostos a serem desempenhados segundo a heteronormatividade, “Rosário de Desamores” reflete sobre como essas questões influenciam na forma como nos relacionamos amorosamente. 

 

Com descontração e leveza, brincando com tantos clichês impostos socialmente sobre o que é o amor e os relacionamentos, a montagem transita pelos medos, frustrações, desejos e as expectativas que rondam as pessoas no que diz respeito aos relacionamentos amorosos. 

 

A partir do ponto de vista de uma mulher empoderada do século XXI, a montagem destrincha as diferentes perspectivas relacionadas ao fato de estarmos em uma cultura que segue promovendo o amor romântico e alimentando a necessidade de somente acompanhados amorosamente é possível alcançar a plenitude de vida e a tão aclamada felicidade.

 

“Que lugar de construção é este em que nós mulheres conscientemente já nos entendemos como pessoas completas, protagonistas de nossas vidas, com pulsões e desejos próprios, mas ao mesmo tempo, inconscientemente, nos vemos capturadas e enredadas facilmente pela narrativa de que para nos realizarmos em plenitude, precisamos ser validadas por um relacionamento amoroso, mesmo que ele seja complicado e nos machuque”, comenta Melina

 

Rosário de Desamores” contou com a provocação cênica de Janaína Leite, premiada atriz, diretora e dramaturgista, com emblemático trabalho solo e uma das fundadoras do Grupo XIX Teatro. E é o segundo desdobramento do processo de pesquisa da atriz, diretora e dramaturga Melina Marchetti, iniciada em 2017

 

Com a criação do primeiro espetáculo “Almarrotada”, que estreou em 2018 sob orientação cênica de Luiz Fernando Marques, a artista refletiu sobre o resgate do protagonismo de vida pelas mulheres, questionando o fato de a mulher ser relegada pela sociedade à condição de cuidadora e coadjuvante. 

 

A montagem recebeu o prêmio de Melhor Espetáculo, Melhor Texto, Melhor Atriz, Melhor Cenário e Melhor Iluminação no 9º Festival de Teatro de Sarapuí (SP), e iria circular pelo Festivais de Teatro de Guaranésia (MG) e de Uba (MG) e que foram adiados por conta da pandemia.

 

Agora, Melina Marchetti estreia “Rosário de Desamores ou Há Coisas Piores para sentir do que não sentir nada?” e convida o público a refletir sobre expectativas, idealizações e papéis de gênero nos relacionamentos amorosos impostos pela sociedade.

 

“O processo de criação deste espetáculo se aprofundou na construção histórica e social do que é amor, o que fazemos para nos enquadrar nesses papéis heteronormativos e as violências cotidianas sofridas em razão disso. É um convite de conexão entre tantas mulheres que passam por situações tão parecidas e precisam encontrar formas de avançar neste desafio de empoderamento”, finaliza Melina.

 

As ações fazem parte do projeto Desdobramentos Almarrotados contemplado no EDITAL PROAC EXPRESSO LEI ALDIR BLANC no 36/2020 - Produção e Temporada de Espetáculos de Teatro com Apresentação Online.

 

Mais informações em: www.instagram.com/almarrotada ou @almarrotada

 

FICHA TÉCNICA

Direção, Dramaturgia e Atuação: Melina Marchetti | Provocação Cênica: Janaína Leite | Orientação Dramaturgica: Ramilla Souza | Figurinista: Nagila Sanchês | Cenógrafo: Bira Nogueira | Operação de Luz e Técnica: Denise Hyginio e Nathália Peixoto | Operação de transmissão: Michele Bezerra | Captação e edição de vídeo: Cleciane Tomé | Designer: Lucas Sancho | Produção Executiva e Administração: Vanessa Zanola | Assessoria de imprensa: Luciana Gandelini | Assessoria de mídias sociais: Pri Galvão.

 

SERVIÇO:

“Rosário de Desamores ou Há Coisas Piores para sentir do que não sentir nada?

Sinopse: O espetáculo propõe uma imersão no ideal de amor romântico e o modo como o mesmo  condiciona a forma de entender o ato de se relacionar. Com pitadas de humor, Rosário de Desamores acompanha a árdua travessia de uma mulher em busca de um relacionamento amoroso perfeito e a dualidade de sentimentos que essa convenção social pode provocar.

Duração: 45 minutos. 

Temporada: até 28 de abril de 2021

Horários: Quartas-feiras, sextas-feiras e Sábados, às 21h00 e Domingos às 20h00.

Classificação: 14 anos - Grátis

Onde: Plataforma Zoom 

Ingressos disponíveis a partir das 12h00 do dia 02 de abril até as 21h00 de 28 de abril de 2021 

Para reservar acesse o link: 

https://www.sympla.com.br/espetaculo-rosario-de-desamores-ou-ha-coisas-piores-para-sentir-do-que-nao-sentir-nada__1150517

Após as apresentações serão realizadas rodas de conversa online (gratuitas) com o público, sobre o espetáculo, o processo e as referências utilizadas. Duração de até 30 minutos. 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem