TOP TV WEB

Página inicial Adolescente do grupo de risco se cura da Covid, no Hospital Espanhol

 


Pai, mãe e filho positivaram para a Covid. A mãe se tratou em casa. Pai e filho foram internados e intubados. O pai não resistiu. O filho venceu a luta para o vírus que destrói famílias!


João Lucas de Souza Letera: 17 anos, estudante, natural de Feira de Santana, obeso, hipertenso, positivado para Covid no último mês de junho, 15 dias na UTI com intubação, cinco dias na enfermaria e, enfim, a tão sonhada alta pela cura chegou no dia 05 de julho de 2021. Estes são números e etapas da luta de João Lucas contra o Coronavírus, no Hospital Espanhol.


Ele foi um daqueles casos que mobilizam e emocionam os profissionais do HE, de forma mais marcante. Por ser um paciente muito jovem, pela gravidade do quadro clínico e pela vitória tão desejada... mas duvidada, em momentos críticos do seu tratamento. 


O pai de Lucas, assim ele é chamado pela família, não teve a sua sorte e, infelizmente, não resistiu à Covid, mesmo sendo tratado em outra unidade hospitalar.


A contaminação pelo vírus mais temido da história da humanidade atingiu Lucas, seu pai e sua mãe, Poliana Trindade de Souza. Ela não precisou de internação e se curou com as orientações médicas para os cuidados domésticos. Lucas e o pai foram internados em unidades hospitalares de Feira de Santana. No dia 15 de junho, Lucas foi transferido da UPA de Feira para o Hospital Espanhol, em uma ambulância avançada de UTI, acompanhado pela equipe de saúde do serviço de transporte médico e pela sua irmã, Luana Souza. Segundo D. Poliana, Luana foi a base e a força da família, neste período de medo, perda, fé e esperança.


“Enfrentamos uma barra muito, muito forte mesmo! Eu recebia os Boletins Médicos Virtuais emitidos pelo Hospital Espanhol, sobre a situação de Lucas que era gravíssima, e não tinha coragem de repassar para minha mãe. Sempre dizia que ele estava evoluindo para a melhora. Ela ainda estava assimilando a perda recente do amor da sua vida. Precisava protegê-la” – relata Luana Souza.


Fé e orações


A fé da mãe de Lucas e Luana nunca falhou: “Foram 20 dias de muito sofrimento. Mas de muitas orações e lágrimas. E o tempo todo eu pedia a Deus que não tirasse meu filho de mim, porque Ele já tinha tirado o meu marido”. As orações de D. Poliana e de outras dezenas de familiares, amigos e profissionais do Hospital Espanhol foram ouvidas e atendidas. 


No momento da alta de João Lucas, na parte externa da Recepção do HE, membros da família o esperavam. Ele saiu na cadeira de rodas, acompanhado de sua mãe que se ajoelhou ao seu lado e tomada pela emoção, exaltou: “Obrigada Senhor! Obrigada Deus... por ter de volta o meu filho nos braços. O Senhor levou o meu amor, mas deixou o nosso filho, fruto do nosso amor... Obrigada Pai! Obrigada Deus!”


Em acordo com a família, o Serviço de Psicologia do HE manteve a orientação às equipes de assistência de que Lucas não deveria saber sobre o óbito do pai, quando fosse extubado e recuperasse a consciência, nem enquanto estivesse internado. E assim foi feito. Ele somente recebeu a notícia, próximo à sua alta.


Alguns profissionais que cuidaram de João Lucas fizeram questão de acompanhar a sua alta festiva, recheada de gratidão, música e oração. A psicóloga Larissa Lima estava presente. Ela acompanhou Lucas desde a UTI 2, quando conversava ao pé do ouvido dele, enquanto ele estava intubado. 


Fortnite para motivar


A fascinação do jovem pelo jogo eletrônico Fortnite, jogado on line, foi descoberta por Larissa, nos atendimentos pós intubação: “Este era um assunto que o motivava. Ele me explicou as regras e então utilizamos a simbologia do jogo e combinamos que cada etapa que ele vencesse no tratamento, ganharia pontos, como no Fortnite.” 


As etapas de evolução na saúde foram sendo conquistadas por João Lucas. Ele saiu do tubo, ganhou 2 mil pontos. Saiu da máscara, mais 2 mil. Do cateter de oxigênio, mais dois. Foi à varanda assistir ao pôr do sol, 2 mil. E na alta, mais dois. Um total de 10 mil pontos, em três semanas do jogo pela vida!


“Fizemos uma moldura com os elementos do jogo para coroá-lo, na saída do Hospital. Foi uma piada interna... mas bem compreendida por ele, demonstrando nossa alegria, carinho e gratidão pela sua vitória” – disse a psicóloga Larissa Lima.


Na sua terceira semana no Hospital, João Lucas atingiu 10 mil pontos no jogo motivacional, inspirado numa batalha virtual, e conquistou a sua alta com a maior vitória da sua vida real: a cura da Covid! Curado e voltando para o aconchego do lar, ele disse: “A equipe do Hospital Espanhol foi nota dez! Eu não tenho de quem reclamar. Toda a equipe me acolheu. Gostei muito!”

Saúde, João Lucas, você é um vencedor de batalhas!


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem