TOP TV WEB

ADVOGADA E EXECUTIVA QUE VIROU FESTEIRA E SOLIDÁRIA

 

LOILHANA MARIA PADILHA ALONSO GONZALEZ
A ADVOGADA E EXECUTIVA QUE VIROU FESTEIRA E SOLIDÁRIA

 

Nos anos 50, no extremo sul deste país, nascia uma menina predestinada a ser iluminada pelo universo. Seu curioso nome foi inventado e seu sobrenome de solteira remete a uma entidade muito conhecida por certa religião. Como seu prenome é de difícil pronúncia, ao longo de sua vida, teve inúmeros apelidos. Como: Lila, Lolita, Lo, Loili, Lola, LoriI e finalmente o que prosperou, LOLI.

Vindo de família da classe média baixa, foi a primeira filha a ter um diploma universitário em Direito especializando-se em Direito Empresarial, o que lhe abriu vários caminhos promissores. Por 35 anos foi extremamente produtiva e, a maior parte desses anos, dedicada a uma empresa americana do segmento do petróleo onde fez a sua carreira profissional desde Secretária a   Executiva de primeira linha reportando diretamente ao CEO da empresa.



Simultaneamente e, como por milagre, formou uma família de pai, mãe e quatro filhos. Nunca teve vida social exceto os eventos corporativos. E as viagens? Do aeroporto para o trabalho e vice versa, principalmente para a matriz, na América do Norte e para a América do Sul, sua região de trabalho.

 Os filhos, deixava sob os cuidados de sua mãe e do marido, médico e com horário flexível. E, deixando claro aqui, todos os filhos são hoje pessoas maravilhosas, de bom caráter, simpáticas, educadas e com as suas profissões definidas, sendo total mérito de sua mãe, que carinhosamente chama de MAMI!

Loli é uma mulher muito vaidosa e esbanja beleza e ótima forma física no alto de seus 71 anos de vida. Sente-se linda e maravilhosa de corpo e de alma, plenamente realizada. E acredita que   PENSAMENTOS POSITIVOS, LEVAM A AÇÕES POSITIVAS.

MaisBonita – Loli, como uma sulista veio firmar morada aqui em São Paulo?

Loli:  Mudei para São Paulo aos 18 anos e nunca mais voltei para Porto Alegre.  Aqui, completei os meus estudos, casei, formei uma família paulistana conciliando a minha vida profissional e familiar.



MaisBonita: E a sua decisão por uma área tão específica como a Jurídica, advogando na área Cível com graduação em Direito Empresarial?

Loli: Serei sincera, pois estudei Direito não por vocação, mas por escolha aleatória levando em conta o retorno financeiro para um profissional. Acabei sendo bem sucedida na área tendo sido também Diretora Jurídica na empresa americana

MaisBonita: Você tem quatro filhos e três netos, assim, qual a importância de sua família para você?

Loli: Família é um valor que sempre considerei.  Sim tive 4 filhos   talvez por ter sido filha única e para minha sorte e orgulho os meus filhos são pessoas de bom caráter e felizes   nas suas famílias e nas suas profissões. Disso, resultaram hoje 3 netos adolescentes   que são educados na mesma linha liberal que eu e meu marido adotamos, mas sempre exigindo muito respeito com as pessoas e responsabilidade pelos seus atos.


MaisBonita: Como uma executiva da área petrolífera, decidiu pela filantropia?

Loli: A executiva do petróleo enquanto assim o era, não via nada além do seu trabalho. Assumidamente workaholic; vivia em função das responsabilidades profissionais.
Trabalhei desde os meus 14 anos e em empregos informais mas sempre registrada com carteira profis-sional e recolhendo para a previdência.  Por isso, a minha aposentadoria ocorreu antes dos 50 anos.

Naturalmente, essa aposentadoria precoce teve um impacto significativo em minha vida, pois tive que fazer escolhas:  ou ficava em casa chorando ou partiria para outro propósito, vivendo o outro lado da vida que eu não conhecia, que seria o lado leve, livre e solto.

E, somente após minha aposentadoria é que a minha mente abriu para outros horizontes, onde pude ver que existia o outro  lado da vida. Pessoas que necessitavam de atenção de várias maneiras.  Assim, no ano de 2010 formei um grupo de ALEGRIA com 12 amigas frequentando festas maravilhosas. Então, iniciei informalmente com as mulheres do grupo trabalhando na auto estima. 

A maioria dessas  mulheres estavam atravessando um período crítico em suas vidas, ou seja, enfrentan-do a menopausa. Dessa forma, comecei a chamá-las de MENINONAS. Embora cronologicamente não fossem, o termo meninas era uma forma de carinho e também permitir que o lado criança de cada uma dessas mulheres pudesse vir à tona. 

Estando bem consigo mesmas, iniciamos então a ajuda aos demais necessitados na região Oeste de São Paulo, onde vivíamos.

 

MaisBonita: O que é o MENINONAS?

Loli: O Movimento Social MENINONAS S.A significa Solidariedade e Alegria e é composto de 200 mulheres de Alphaville e Região. Mulheres das mais variadas personalidades e profissões que decidiram se dedicar à pratica da responsabilidade social através de atividades educativas e assistenciais, agindo na Ajuda Humanitária, na proteção ao Meio Ambiente (Flora e Fauna) e na Sustentabilidade. 

O MENINONAS tem como missão alegrar as pessoas em corpo e alma, visando a auto estima de cada integrante e das pessoas que as cercam. Inspiram o otimismo em todas as situações, através das suas ações positivas. Além de cooperar, também, no desenvolvimento das atividades comerciais das suas integrantes empreendedoras

Atuamos nos municípios de Barueri, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus. Portanto, quem tiver interesse em conhecer o nosso projeto e juntar-se a nós, convido a visitar nosso site www.meninonas.com.br e, também, através do Instagram  @meninonassa

 


MaisBonita: O que esse projeto -  MENINONAS S.A -  significa para a sua vida?

Loli: O movimento MENINONAS que fundei e sou PRESIDENTE tornou-se para mim um propósito de vida. Eu, praticamente, vivo em função das integrantes e das ações sociais realizadas.  Tenho orgulho e gratidão por esse movimento ter adquirido um excelente conceito no propósito da sua existência, com reconhecimento de autoridades municipais, organizações privadas. Porém, o maior mérito é vermos a felicidade e o agradecimento estampado na vida dessas pessoas que pudemos ajudar. Isso é o que importa.

MaisBonita: Sabemos que lançou uma coleção de joias! Qual foi o intento?

Loli: Sim, lançamos em 2020 a coleção LOLI, meu apelido, com a intenção única de que toda a arrecadação fosse revertida ao nosso movimento MENINONAS. E, assim, aconteceu! Foi um sucesso.
E, agora, com o mesmo propósito, desejamos lançar a Loja MENINONAS. Enfatizo que toda a arrecadação líquida das vendas irá para as ações sociais que realizamos.

MaisBonita: Como uma pessoa altruísta, gostaríamos de saber sobre suas considerações!

Loli:  Aproveito este momento para enfatizar que ser SOLIDÁRIO exige muito comprometimento e sacrifício.  É um trabalho onde não há remuneração, tampouco férias, ou 13 Salário. Porém, a nossa compensação não é financeira, mas ver o RECONHECIMENTO do nosso trabalho explícito na vida das pessoas que ajudamos. Pessoas felizes são o nosso ganho maior.

MaisBonita: Por fim, conte-nos como foi a indicação para estar na capa da Revista MaisBonita?

Loli: Tive o prazer de ser convidada para ser capa desta renomada revista, através do seu CEO, André Lap, onde prontamente aceitei, vislumbrando a grande oportunidade em poder divulgar esse projeto, o movimento social MENINONAS S.A.  O que sou muito grata.

 

Fotografia: Loana Alonso @loanaalonsofotografia

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem